Thursday, August 16, 2012

O Laboratório de Artes Naturais

 
O que é?
 
É um laboratório de interação com o mundo natural e de experimentações artísticas. Um conjunto de vivências que se utilizam dos elementos da natureza como referência de seu estudo. Artista e natureza; ora somos sujeitos: observando, copiando, sentindo, buscando conhecer; ora somos objetos: sendo transformados pelo meio, sendo estimulados pelos padrões, cheiros e sensações provocadas pelo contato com a natureza.

O contato com a natureza e as experimentações artísticas facilitam o despertar do ser artístico e a real interação com o meio ambiente. Tanto a arte como a natureza são estímulos para o desenvolvimento da sensibilidade, da intuição e, sobretudo, do amor e admiração pelo mundo natural.

“Cultura é tudo o que é criado pelo homem. Tanto uma poesia como uma frase de saudação. A cultura consiste em recriar e não em repetir. O homem pode fazê-lo porque tem uma consciência capaz de captar o mundo e transformá-lo. Isso nos leva a uma segunda característica da relação: a conseqüência resultante da criação e recriação que assemelha o homem a Deus” (FREIRE, 1983)
Através das experiências artísticas do Laboratório de Artes Naturais e dos saberes da Alfabetização ecológica, da Educação libertadora e da Permacultura, pode-se transgredir a falsa dicotomia natureza-cultura e imprimir em nossos fazeres cotidianos o cuidado com a terra, com as plantas, os bichos, com as pessoas e todas as coisas.
Inspiração:

A natureza é o grande laboratório da vida, fonte primeira das nossas descobertas, lugar onde a arte se mistura e revela infinidades de caminhos, espaço que nos permite descobrir diversidade de formas, cores, texturas e sabedorias.

Fundamentação:


Atualmente muitos autores que abordam a questão da Estética Ambiental concordam que existem dois modelos de apreciação da natureza: o cognitivo e o imaginativo - além do conhecimento científico e ecológico a apreciação “deve incluir a emoção, o envolvimento físico com a natureza, as experiências e reações meditativas e imaginativas.” (KIVY, 2004)
Conceitos: Alfabetização Ecológica (CAPRA), Educação Libertadora (FREIRE), Arte-educação (BARBOSA), Vivências com a Natureza (CORNEL), Permacultura, Educomunicação.


Histórico?

Durante meu trabalho como instrutora da oficina de artes plásticas do projeto Crescer com Arte (março de 2007 a março de 2009) percebi que muito dos trabalhos de arte-educação realizados pelas crianças faziam referência à natureza.

O projeto localiza-se no bairro do Caça e Pesca, próximo à foz do Rio Cocó, emoldurado pelo mangue, pelo mar e pelas Dunas, onde encontramos animais, flores, folhas e frutos de todas as cores e formatos.



Com quem?

A turma era de, em média, quinze crianças, meninos e meninas com faixa etária de sete a doze anos, moradores do bairro Caça e Pesca. Eles estudavam em um turno e no outro freqüentavam o projeto.

Meninos e meninas que moravam entre o mar, as dunas e o rio, mas que também conviviam com uma série de problemas sociais e familiares. Muitos dos pais dessas crianças trabalhavam na praia vendendo côco e artesanato, como garçons em barracas de praia, construção civil e serviços domésticos.





Princípios:

Liberdade para criar: 

a oficina é chamada de “Laboratório” para que fique claro que não estamos ali para reproduzir obras de artes consideradas exemplares, mas sim para fazer experiências com pontos, linhas, formas, materiais, cores, luz, textura, movimento, espaço, mensagens e corpo. Todos nós somos cientistas na natureza e estamos prontos para aprender com ela a dar asas a nossa imaginação.





Cooperação:

Ao observar o mundo natural, seja entre os humanos ou entre os demais animais, podemos conhecer uma série de formas de convívio e sociedades, isso nos permite perceber que somos mais fortes e capazes quando estamos juntos cooperando uns com os outros. Estas descobertas estimulam o desenvolvimento afetivo das crianças entre si e para com a natureza.


Responsabilidade:

ao iniciar qualquer trabalho primeiro refletimos sobre cada material a ser utilizado, de onde vem, para onde vai e seu impacto na natureza, essa reflexão possibilita o desenvolvimento do consumo responsável e de um olhar mais consciente sobre os materiais.






Vivências:

as vivências e as aulas de campo despertam o amor pelo meio ambiente e a atitude de proteção, pois só protegemos o que amamos e o que sentimos que é nosso. Essa consciência traz o sentimento de respeito e valorização da região em que vivem, mostrando que eles são guardiões do local e, portanto, são responsáveis pela conservação de todas as riquezas naturais que ali existem.




Diversidade:

dialogar sobre a importância que cada elemento, planta ou animal desempenha na natureza, estas conversas são contextualizadas no cotidiano deles, como por exemplo, o quanto é preciso substituir as brincadeiras e gestos violentos por atitudes de amor, amizade, harmonia e cooperação, pois cada um tem sua importância no grupo e todos se fortalecem na harmonia das diferenças.




Arte:

a arte tem o poder de tocar o emocional fazendo com que a criança acredite em si e perceba seu potencial, ela se sente forte e capaz de construir um novo mundo. Ao adentrar no mundo das cores formamos grupos de pesquisa e lançamos mais uma vez o olhar na natureza a fim de verificar onde as cores estão dispostas e qual o significado energético de cada cor.


Conhecer a abstração nos leva a experimentar a liberdade da arte e criamos novos mundos, brincamos com os padrões e as cores, tudo com muita fantasia e diversão. É quando percebemos que, assim como a natureza, a arte tem infinitas possibilidades e que é um canal que podemos deixar correr os nossos sentimentos e pensamentos, é viver o momento único do criar livremente.







Natureza:

 o conhecimento dos padrões da natureza nos leva a um imenso campo de investigação das infinitas formas, observamos as semelhanças e as diferenças e percebemos a sábia arte que há em toda paisagem. As formas circular (a Lua, o Sol e a Terra), lóbulos (nossa orelha e o feijão), fractais (galhos, riachos, folhas e nossas veias), espiral (galáxia, girassol, concha e vento), hexagonal (colméias, cristais, solo rachado).

Pensar sobre os elementos da natureza faz com que tenhamos um olhar amplo sobre o equilíbrio e de como tudo é importante e tem sua função. Damos asas aos nossos sentidos e redimensionamos nossa percepção. Olhamos o mundo ao redor, os elementos, os reinos da natureza, as pessoas e a comunidade, como tudo acontece e se organiza. Também nos divertimos com o mundo encantado da floresta, do mangue e do fundo do mar, deixamos correr livre a fantasia e aprendemos o quanto é importante amar e proteger a natureza.

  
De tanto criar com a natureza passamos a  co-criar  com Ela... e juntos construímos um jardim colorido!
 
(antes e depois)

  Construção do Espaço Ecológico
– Projeto Crescer com Arte – Laboratório de Artes Naturais (Permacultura e arte)

“A verdadeira educação ambiental só acontece na vivência prática com o ambiente, descobrindo nosso impacto e nosso potencial de restauração”.

(LEGAN, 2007)
Fundamentos e Metodologia

O processo de construção do espaço ecológico fundamenta-se na alfabetização ecológica e se deu por meio das práticas da permacultura (cultura permanente) que compreende observação, conhecimento e interação com o local, a leitura dos padrões da natureza, o planejamento e a intervenção que “trabalha com a natureza e não contra ela”, a arte também esteve presente em todo processo como a principal linguagem do nosso trabalho.

Observação e Conhecimento

Fazemos passeios pela comunidade para conhecer o ecossistema do local; as plantas, os animais, o movimento do Sol, do vento, a disposição da água, as pessoas da região, assim como todos esses fatores se organizam e se relacionam.  Buscamos perceber quais plantas se dão bem no lugar, analisamos quando uma plantinha está “feliz” ou quando lhe falta água, adubo e atenção.

Pesquisamos na comunidade quem são aquelas pessoas que detém os conhecimentos de plantio de alimentos e uso das ervas medicinais. Observamos também quais são os recursos que temos na comunidade para o nosso jardim como areia, adubo, sementes, mudas, etc.

Essa pesquisa na comunidade não busca também encontrar artistas e mestres da cultura no bairro, é surpreendente conhecer o local onde vivemos e perceber a teia da vida de que fazemos parte, compreendendo a idéia de ecossistema de forma ampla, como um conjunto conectado de plantas, animais, pessoas, arte e, portanto; recursos naturais e culturais.

Planejamento

O planejamento com as crianças é feito de forma lúdica. Cada um expressa em seu desenho como gostaria de ver o espaço modificado, quais elementos da natureza e da arte podemos inserir em nosso espaço para que ele fique agradável aos olhos e ao meio ambiente.



 Fazendo o jardim

A construção do espaço ecológico foi um lindo processo: conseguimos mudas e adubo com os familiares das crianças e outras pessoas da comunidade, as crianças traziam de casa sementes e embalagens para fazermos mudas, aprendemos como adubar a terra, construímos canteiros, uma horta, um espiral de ervas, uma mini cerca viva, fizemos mudas, plantamos em jarros, confeccionamos placas e cuidávamos diariamente do nosso espaço ecológico!

Ao final tínhamos aquele lindo espaço feito por nós, onde não havia a palavra “meu”, mas sim “nosso”; um jardim colorido repleto de plantas e flores felizes que recebiam a visita das borboletas!

 

 
       Release

O Laboratório de Artes Naturais integra Vivências com a Natureza, Alfabetização Ecológica, Permacultura e Arte-educação.

Foi uma metodologia que surgiu durante o meu trabalho com as crianças do Projeto Crescer com Arte - da Prefeitura de Fortaleza em parceria com o Programa de Criança da Petrobrás - no bairro “Caça e Pesca” em Fortaleza (Ceará) – no período de março de 2007 a março de 2009.

patriciamartins360@gmail.com




 

No comments: