Wednesday, December 09, 2015

Mar de Incertezas

Quando a palavra não puder dizer
Algo além do nada,
E o silêncio não respirar...
Quando, apesar da leveza do ar,
Sentir uma onda pesar,
Sem saber ir nem levar...
Quando os sentimentos
Atingirem o vento
Levando para longe
As rédeas do entendimento,
Não pense que é esquizofrenia
E simplesmente
Escreva uma poesia.

Quando não souber distinguir,
Na prisão da razão,
A expressão do sentir...
Sem saber a diferença
Do lamento e do engraçado,
Da bagunça e do organizado...
Não espere,
Não se desespere,
E sem entender
Contemple essa agonia.
Simplesmente
Escreva uma poesia.

Quando seu coração
Engolir seu corpo,
Quando sua língua
Relaxar morta
Tapando o seu pulmão,
Não chore,
Não esconda a emoção,
Dance a vida na viola,
Cantarola uma canção,
Emocione em coreografia
E, com o corpo,
Escreva uma poesia.

Quando enfim puder perceber
Outro entendimento da compreensão
Livre das janelas da razão...
Experimente e exercite
O contemplar
O não entender
Essa simples beleza,
O mar de incerteza
Movimento fluir
Livre natureza
Como a luz do Sol
Que é por si
E em si e silêncio
Transforme o seu sentimento
Sem sentido no tempo
No risco lamento
Da palavra macia
E simplesmente,
Escreva uma poesia.

Escrito em: 27.10.2013